Desembarque no Japão

Turismo

e você pretende ir ao Japão, seja para passear, rever familiares, levantar patrimônio para depois retornar ao Brasil ou mesmo ficar por lá, fique atento aos detalhes para não ter nenhuma surpresa no aeroporto.

Com o visto em dia e todos os documentos, é preciso ter algumas informações básicas para uma chegada tranquila ao território japonês.

No aeroporto

Os 3 maiores aeroportos japoneses – você, provavelmente, aterrissará em algum deles se o destino for uma das grandes metrópoles – são: Narita, que fica próximo a Tóquio; Kansai nos arredores de Osaka; e, por fim, Nagoya, localizado na província de Aichi.

Na chegada, terá de preencher os formulários de desembarque e outro de quarentena – este último tem por finalidade saber se o passageiro tem alguma doença.

Para levar as bagagens, a opção é usar o takkyuubin, serviço de encomenda expressa que funciona nos aeroportos. As malas são entregues em até 24 horas.

Passando pela alfândega

A inspeção costuma ser tranquila e não são cobrados impostos sobre objetos de uso pessoal ou profissional, desde que em quantidade considerada razoável pelo serviço alfandegário, ou seja, que o volume não seja considerado de comercialização. É importante que você fale inglês ou japonês.

Saiba também que não é permitida a entrada no país com livros, desenhos ou qualquer outro artigo considerado obsceno, além de armas de fogo. Remédios para uso próprio podem ser levados, desde que com receita médica e em quantidade suficiente para até um mês de uso.

Câmbio e fuso horário

O dinheiro japonês é o iene (¥). A cotação varia em torno de 100 ienes por dólar. Há moedas de 1, 5, 10, 50, 100 e 500 ienes. As moedas de 10 e de 100 ienes são aceitas em telefones públicos, mas, cuidado, os orelhões não dão troco. Coloque moedas de 100 ienes somente se a intenção for fazer chamadas longas.

É possível trocar seus dólares por ienes já no aeroporto. Também podem ser usados travelers checks, comprados nos bancos brasileiros e trocados nos japoneses.

Já em relação ao fuso horário, o Japão está 12 horas à frente do Brasil – ou 11 horas, durante o período de horário de verão brasileiro.

Postada originalmente em bradesconikkei.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *